Revista IBDFAM - Famílias e Sucessões - Edição 42
Nesta edição, Bruna Barbieri Waquim aborda “Educação conjugal e educação parental: dois instrumentos imprescindíveis para a solução do problema da alienação parental”; “A criança como sujeito assujeitado no processo judicial: uma avaliação do Estatuto da Criança e do Adolescente e a realidade dos tribunais”, por Jordana de Carvalho Pinheiro; Eduardo Gesse e Victor d’Arce Pinheiro Dib analisam “Os reflexos da pandemia de COVID-19 na sucessão testamentária”; “Famílias negras importam!”, por João Batista de Oliveira Candido; Barbara Heliodora de Avellar Peralta aborda “Indícios de desvirtuamento da pensão alimentícia da criança e do adolescente e a possibilidade da prestação de contas”; “Em busca do inventário mais eficiente: como conhecer no inventário questões que precisem de prova não documental” é o tema proposto por Marco Antonio Rodrigues; José Maria Teixeira do Rosário analisa se “A adoção intuitu personae é justa ou injusta?”; “Considerações críticas sobre os impedimentos matrimoniais”, por Andréia Fernandes de Almeida Rangel e Luiz Augusto Castello Branco de Lacerda Marca da Rocha; Isabelly de Castro Machado da Silva aborda “O processo de adoção na pandemia e as alternativas para menores em situação de abrigo durante a pandemia do COVID-19”.
 
Na seção Contribuição Estrangeira, Paula Ferreira Bovo apresenta “A adoção internacional no contexto português”.
 
Ainda nesta edição, decisões inovadoras em Direito das Famílias e Sucessões.
 
Ronner Botelho Editor
Editor